quarta-feira, 2 de março de 2016

Olhar o céu - T R Bremm

Sempre há um novo céu.
Novas nuvens de formas imprevisíveis
As familiares estrelas sempre chamando,
se escondendo, surgindo.
Mas nem toda noite os olhos são capazes de ver.
Nem todo dia um sorriso sabe agradecer,
a beleza que se estende por cima,
a paz que te chama pra vida.

Nenhum dia tem o mesmo céu.
Nenhuma noite tem a mesma marca.
Todo dia é preciso reaprender a olhar.
Levantar os olhos de um umbigo que é sempre o mesmo,
e ver a marcha do tempo,
e sorrir,
e saber apreciar.

O céu sempre esteve aqui,
não quero mais deixar de vê-lo,
Mas onde mais quero, é no reflexo do teu olhar.