quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Crepúsculo dos Sentimentos





Tem dias que me sinto esquecida,
Perdida, sozinha.
Como uma meretriz secular
Em busca de um lar.

Seu afeto é um suplício.
Que jeito esquisito
De demonstrar seu amor
Ao me encher de temor.

Por que noturno me ama
Se diurno me humilha?
E me marca com acusações
Me dilacera com traições.

Tem dias que me sinto rendida,
ferida, desmerecida.
Como um vaso que perdeu seu valor
Que sempre espera pelo horror.

O que fará quando me rebelar?

Na circunstâncias do meu lamento
No crepúsculo dos sentimentos
Um auspício se revelará
E o amanhã de ti me libertará.