segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Por trás do sorriso quebrado



Consegues notar o tom fúnebre de minha pele?
Minha boca pequena machuca mais do que mil soldados.
Mesmo sendo alta não consigo alcançar o céu.
Embora seja uma sonhadora não tenho um sonho para me apoiar.

Meus cabelos são cacheados, misturados como meus pensamentos
E meu olhar profundo esconde uma agonia profunda
Que é mascarada por essa cara de anjo.

Estou traída, caída e ferida
Pelos sentimentos que me deixaram para trás.

Eu sou a garota esquecida
Com alma de poeta empobrecida.
A garota que não sabe o que deu errado
Por trás do sorriso quebrado.





Escrevi esse poema quando tinha 15 anos em um trabalho sobre autobiografia.