sábado, 21 de fevereiro de 2015

Faces da Inocência


Tão divina, tão delicada
Uma aura celestial
Penetra minh'alma.

Tão graciosa, tão piedosa
Acolha-me embaixo de tuas asas
Entorpeça-me com o teu canto.

Tu que tens a chave
Do baú dos sonhos.
Tu que tens os olhos
Divididos entre a pureza e a tristeza.

Tu que foste sereia de outrora
Tu que foste agraciada pelos deuses.
Hoje és face da derrota,
Profeta das desilusões.

Tão imaculada, tão frágil
Um coração trincado
Permita-me curá-lo.

Tão melancólica, tão incompleta!
Deixe-me acordá-la
de teu eterno pesadelo.

Tu que tens o encanto
de uma fada.
Tu que tens a vida
Marcada pela desgraça.

Tu que foste sacerdotisa de Apolo
Tu que foste desenganada!
Experimente minha vitalidade...