domingo, 11 de janeiro de 2015

A Jornada


O clarão no topo da montanha
Acende a esperança em meu peito.
Eu sei que o final deste martírio está próximo.
O desespero já não me afeta mais.

Meus sonhos estão nas mãos de estranhos,
Minhas lágrimas a uma vida atrás!
Antigas memórias de maldade
Já não causam peso na minha cruz.

Minhas chagas estão doloridas como nunca
Mas algo acaba de nascer em mim!
A jornada parece estar chegando ao fim,
Nunca estive tão perto de me encontrar.