quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Sete Mares Irreais



Eu vivo entre pilares submersos
Sob o olhar de fantasmas furiosos.
Permaneço onde os deuses ouvem de mim,
Onde campos de corais não tem fim.

O que é um mundo imaginário
Se não um alento dos mortais?
Uma barreira contra o imoral,
Um passo mais distante do que é real.

Não diga o que é mentira
Quando você falta com a verdade o tempo inteiro!
Suas falhas alimentam essa ferida!
E além do mais, já estou encantada por esse céu áqueo e homogêneo.

Desiludida por tanta malícia
Não consigo do meu paraíso me distanciar.
Aclamo o meu guardião divino
O deus dos sete mares irreais.