quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Adeus


     Houve uma época em que acreditava que os sonhos realizavam por nossos méritos, mas estava enganada.
     Tentei fazer tudo sozinha, todavia não possuo todas as habilidades do mundo.
     Então confiei minhas expectativas nas mãos de pessoas que disseram que estariam lá por mim, mas eles me deixaram sozinha.
     Agora as pessoas novas tentam me trazer um pouco de alegria, no entanto, eles chegaram tão tarde.
     Estou tão cansada.
     Acordei um dia pensando quando foi que o mundo ficou menos bonito e uma resposta amarga veio na minha mente.
     Vou embora para longe desse lugar que perdeu sua magia.
     Onde as pessoas perderam suas palavras e suas almas. 
     Vou para o começo.
     Juntar os meus cacos e seguir meus passos para trás, tentando descobrir o que deu errado.
     Lembro cada vez mais do porque quis sair daquele lugar. Da superficialidade dos desejos de certas pessoas.
     Tenho tão poucos caminhos abertos e todos são acinzentados.
     Porém eu tenho vontade.
     Uma vontade que não me deixa cair ou desistir dos sonhos que ainda não sei se tenho.
     Querem me prender de volta num mundo que nunca foi meu.
     Não nasci para realizar os sonhos abandonados de ninguém.
     Não nasci para ter certeza do que serei pelo resto da vida.
     Não me perguntem porque nasci. Eu apenas o fiz um dia.
     Perguntem-me porque eu vivo e eu responderei: vivo para seguir adiante.