domingo, 28 de setembro de 2014

Sonhos de Luz


Vai navegando no infinito
O barco cruz.
Soando os sinos, ajuda aflitos
Neste mundo azul.

Sob o mar azul.
Sob o azul.

Sonhos, sonhos... Sonhos de luz.

Tentei tanto controlar meu destino
Mas o final foi triste.
E como tocar em frente minha vida e o que sinto
Se a dor ainda persiste? 

Me leva pra casa, barco cruz!
Me leva pra casa, longe do azul!

Sonhos, sonhos... Sonhos de luz.

Minha vida, minhas lágrimas.
O medo é azul.
Os meus planos, minha outrora.
A ilusão é azul.
O meu sangue, minha mortalha.
A indolência é azul.
O meu corpo, minha alma.
A morte é azul.

O tempo é azul
E você não vê passar.


Essa poesia virou uma música. Escutem a Sonhos de luz. :)